3 de abr de 2017

Poesia de João Diogo - Andorinhas de Regresso

Fonte - http://munddoaves.blogspot.com.br

ANDORINHAS
DE REGRESSO


Ante uma arribação
Aguardada
Como se fora
Um filho adormecido!
Andorinhas que no seu vaivém,
Dão o tom,
Pelo espaço esvoaçando;
Quando em grupo
Bem unido,
Descrevem acrobacias
Em seu corpo alado,
Levitando.
Voláteis, elas se recreiam,
Na beleza da sua rotina!
Deambulando com destreza
O embalo da sua passagem...
Qual magia da evolução
A norteá-las, apesar do clima,
Que a brisa da noite
Aconchega,
Como se fora uma miragem.
Alegres,
Estes pássaros noturnos,
Que a primavera abriga
Como unos...
Em seu reduto de
Andorinhas ligeiras.
Quiçá a desenvoltura,
Planejada na postura,
Tão supostamente
Ensaiado!
Qual esplendor
Assumido,
Ante um regresso
Embelezado.


JOÃO DIOGO
Recife 1 de abril de 2017


Nenhum comentário: