7 de set de 2013

Poesia de Madalena Castro - A máquina nas mãos do criador


A MÁQUINA
NAS MÃOS DO CRIADOR

Quando
O relógio da vida
Perder o compasso
Os canais de irrigação
Derem defeitos
A estrutura, fragilizada
Ameaçar ruir
E o revestimento
For tingido
Com a tinta do tempo
É sinal de alerta

Não espere o relógio parar
Nem a Caixa de memória
Entrar em pane
Salve os arquivos
Mesmo  que eles
Jamais possam ser abertos
E o Criador
Corte o último fio
Que alimenta a máquina

Madalena Castro

11 de abril de 2013

Nenhum comentário: