1 de mai de 2015

Poesia de Giselda Camilo - De Repente


De Repente

De repente ela chega, do nada,
sem ser convidada,
sem marcar e sem avisar.
Chega causando uma dor profunda
 presenteando com uma saudade,
até do que não foi tão bom. 
não entendo o que ela quer 
e porque está aqui

Vem acompanhada de uma vontade
de retornar o tempo
para chegar não sei aonde.
Fazer não sei o quê 
não sei onde.
Esvazia a minha mente
E o passado, o presente e o futuro
não existem.

Por alguns instantes me procuro 
e não me encontro
É algo inatingível  que não
se pode expulsar.
Fico quieta, não sei  pra onde ir,
não sei a quê , nem pra quem recorrer.
Tudo fica tão pequeno,  
Tão sem graça e tão sem vida.

De repente chega, de repente vai.       
Neste espaço entre os dois “de repentes” 
sinto a Força Maior 
me segurando,  me amparando.
É isso que me faz ficar quieta   
e esperar passar.

E ela se foi...  pra  voltar.
Sem marcar.  Sem avisar.

                                                   
Giselda Camilo.
 Olinda  – PE.  Dez. 2014

2 comentários:

regrode1@hotmail.com disse...

Maravilhoso momento de inspiração
mostrando para a vida a força do amor guardado no coração.

Giselda disse...

Obrigada!