4 de nov de 2014

Poesia de Giselda Pereira - Calmaria


CALMARIA

Fiquei como um barco
Sem ninguém pra navegar
Perdido no meio das águas
Jogado pra lá e pra cá...

E aí surgiram os remos
Me ajudando a navegar
Me assustei com minha força
E comecei a remar...

As ondas ficaram calmas
E remei de mar a dentro
Olhando o firmamento...

No céu eu vi o pintor
Que aquele quadro formou
Que me deu aquela força
Pra ver a beleza da vida
E dominei o meu barco
Não o deixando a deriva...


Giselda Pereira

Nenhum comentário: