25 de nov de 2012

Poesia de Margarett Leite - De repente é noite

 DE REPENTE É NOITE


DE REPENTE É NOITE
PERCORRENDO SONHOS
DE REPENTE É NOITE
E A SUA NATURAL MELANCOLIA

NAS CALÇADAS VAZIAS
NOS BRILHOS DOS FARÓIS
NAS RUAS DESERTAS
QUE NÃO PASSEI

DE REPENTE É NOITE
COM VISÕES DE LUAS CHEIAS
QUE FICAM DETIDAS NO BRILHO DAS ÁGUAS
NESSAS RUAS QUE EU NÃO TE ENCONTREI

DE REPENTE É NOITE
NAS PARALELAS ESTRADAS
ONDE SÓ PISEI NAS PEGADAS DO MEU CORAÇÃO

DE REPENTE UM GRITO...UM LAMENTO
NA NOITE QUE NÃO ESTAIS, HOMEM DO LUAR

DESCOBERTAS NOTURNAS
SONS,CHEIROS,SEDAS A DESLIZAR NO MEU CORPO

NAS MIL E UMA NOITES
QUE TE ENCONTREI PERDIDO
NO ABRAÇO QUE SERÁ ETERNO
ETERNIZANDO A NOITE
QUE NÃO MAIS SERÁ.


Margarett Leite

Nenhum comentário: