11 de ago de 2012

Poesia de Onildo Moreno


A pecadora
 
Cálice de prazer sabor do pecado
Funesto amor, sussurrado
Distante lembrança que devora
Um amor perdido que foi embora.
 
 
E pelo que fica dito
Senhora do meu coração
Ardente vinho ilícito
Com fúria força e revolução.
 
 
No silêncio da noite, a cada instante
Chica da Anunciação é amante
Mulher de má vida dita A PECADORA
É Mar em chamas por desejos proibidos.
 

Jóia libente desejo mais ardente
Loucuras no meu silêncio
Oh! Misteriosa PECADORA
Eu neste convento me resigno.
 

A benção de teus santos seios
Que motiva desejos noturnos
Acordo e não posso esquece Lá
Lilith da noite. A PECADORA

Onildo Moreno

5 comentários:

Ivan JR | Gestor Imobiliário disse...

Parabéns,Onildo !
Belo poema.

Abraços, do seu amigo e irmão em João Pessoa, PB

Ivan JR | Gestor Imobiliário disse...

Parabéns, Onildo !
Belo poema.

Abraços do seu amigo e irmão, de João Pessoa, PB.

MARGARETT LEITE disse...

BELÍSSIMO POEMA..O DE ONILDO MORENO
DESDOBRANDO-SE EM LEMBRANÇAS DAS ENTRANHAS DA ALMA...BRAVOS POETA MORENO.BRAVOS!ALMA ANTIGA.

meu mundo disse...

muito bom primo!!!
to esperando um livro seu!!
publique viu?
bjs

aldinha flores disse...

gostei de ler essa sua poesia! a pecadora. beleza em forma de palavras. abraço.