17 de jul de 2012

Poesia de Beto Aciole




Meu Bom Amparo


Saudades, meu bom Amparo!
Meu berço e meu celeiro
Minha primeira morada
És o meu amor primeiro
Moras na minha memória
Fazes parte da minha história
Há quarenta e seis janeiros
Quanto mais velho, mais belo
Teus quintais são um encanto
Tens teu coração num Largo
E teus pés nos Quatro Cantos
Tua igreja é um santuário
Teu casario, um relicário.
Beleza que causa espanto
Voltarei pra ti um dia
Não serei desamparado
Quero de novo a alegria
E de volta o meu legado
Regressarei aos teus braços
Farei de ti meu regaço
E morrerei confortado
Beto Acioli

Um comentário:

betoacioli disse...

http://betoacioli.blogspot.com.br/2012/03/meu-bom-amparo.html