24 de mar de 2012

Poesia de José Calvino e Clóvis Campêlo


Recife & Olinda*

** Por José Calvino e Clóvis Campêlo

Do Recife
vi os altos coqueiros,
soberbo estendal;
De Olinda,
escutei os guerreiros,
Marim dos Caetés;
Das pontes
vi o rio caudaloso,
correndo incessante;
Das praias
vi o peixe amarelo,
a cauda de Iemanjá;
Dos coqueiros,
vi o sol nascendo,
prometendo um novo dia;
Das gaivotas,
vi o vôo livre, rasante,
cortando o ar.

Dos carnavais,
vivi fantasias e
bebi alegrias;
Dos bares
curti o som festivo
e revi companheiros;
Das jangadas,
vi a luta dos homens
em busca da vida;
Das cirandas,
vi o rosto do povo,
dançando e
cantando a alegria;
Dos amores,
vivi as ilusões
de grandes paixões.

Do poema,
vesti-me de versos;
Da lua,
mergulhei no espaço;
Do sol,
alimentei a
minh'alma;
Dos arrecifes, avistei e
amei a cidade;
Dos morros,
deslumbrei horizontes
e decifrei a
planície;

Das cidades,
cenário encantador,
evoca Recife e Olinda.

 
* Obs.: Poema feito em conjunto na praia de Pau Amarelo - domingo, 23.12.2007.Extraído do livro Fiteiro Cultural, pp. 141-3 (Comentários: pp. 143/147- idem nos blogs Poetas Independentes/Literário).
** José Calvino de Andrade Lima, escritor, teatrólogo e poeta pernambucano e Clóvis Campelo, poeta pernambucano

Nenhum comentário: