31 de jan de 2012

Poesia de Beto Acioli



Lástimas de um infeliz

O que mais me invade
Se minha alma é só farrapos?
Se já nem sinto o ar que respiro
Nem mesmo suspiro a dor
Mesmo com todo ardor
Minha pele é insensível
Não vejo mais o Possível
Nem sei mais o que eu sou

Quero que me esqueçam, pois mereço
Deixem que eu apodreça
Não há ninguém que mereça
Ser lembrado como eu fui

Sofro, minh'alma fica em pedaços
Mas deixem que eu mesmo faço
O caminho que me conduz.


Beto Acioli

Nenhum comentário: