14 de mai de 2018

Poesia de Giselda Pereira - Mãe é assim


MÃE É ASSIM

É socorro na beira da estrada
É calmaria numa tempestade.
E viver numa eterna ansiedade...
É o atalho do caminho
O aconchego do ninho...


É forte como correntes
Isso mostra no abraço
É a água que molha a terra
Não se queixa de cansaço...

Mãe é assim...

È o primeiro verso da poesia
É a canção não terminada
È um jardim com margaridas
MÃE...é a própria VIDA...


Quando a MÃE faz a partida
Fica no peito a ferida
As estrelas que estão a brilhar
São os olhinhos delas
Que vão sempre nos guardar.


Giselda Pereira

11 de mai de 2018

Poesia de Margarett Leite - Minha Mãe



MINHA MÃE

Singela e bela

amor silencioso
presente maior
seguro e forte


Sempre colo

na hora certa 
medida exata
sublime ação


Mãe medida exata 

não te esqueci
é fortaleza
exemplo exato 
sem vida ou morte
eternidade no coração.


Margarett Leite


10 de mai de 2018

Poesia de Madalena Castro - Recordação



RECORDAÇÃO

Me recordo de você mãezinha
Ao meu lado enquanto eu sofria
Seu corpinho abraçado ao meu
Com carinho, o meu corpo aquecia

Muitos dias, cantei de tristeza
Pra fingir, que era de alegria
 Mas por dentro, eu estava chorando
Só Deus sabe, o quanto eu sofria

Quando a dor me fazia tremer
Seus olhinhos, chorando eu via
Choro agora, sozinha, escondida
 Na tristeza, ou na minha alegria

Quantas vezes, eu chorava baixinho
Você via, e se punha a chorar
Não tinha recurso nenhum
Porém tinha, seu amor pra dar

Mamãezinha, você foi guerreira
Hoje é musa e minha inspiração
O remédio pra minha saudade
O sossego, pro meu coração

Madalena Castro

                          2014

Poesia de Giselda Camilo - De Mães e Pão



De Mães e Pão

Com o canto dos passarinhos
Revoando dos seus ninhos
Cedinho,
Por entre rosas e espinhos,
Penso em Maria
Que, um dia, também cedinho
Acordou

E para seu filho Jesus, o pão
Preparou
Mãe zeloza e amorosa
A todos filhos oferta o “pão”
Ao alimentar e saciar a fome
Daqueles que A procuram.
Mãe a nos dar o conforto
Nas horas de dor e desespero
Intercendendo junto ao Pai
Ao Filho e ao Espírito Santo
Que no Ventre Sagrado carregou 

E ao mundo em forma de humano
Presenteou.

Giselda Camilo 

Poesia de Virgolino Lima - Grito



Grito


Mãe, eu grito
Buscando a felicidade
Com esperança, sem esquecer
Os meus gritos de criança
Quando nas madrugadas
Eu gritava...
Eu gritava...
A senhora se levantava 
Para me acalentar
Fui crescendo e gritando
Em busca da felicidade
E aquele menino 
Que gritava , gritava...
Hoje canta, solta a voz 
Canta poesias das lembranças que tem
Lembrando dos gritos
Hoje lembro dos beijos e abraços.
Mãe, eu grito
Sempre que puder
Grito também pelo amor de uma mulher
Que mesmo velhinha
Não me esquece
E me quer.


Virgolino Lima
01-10-2014

1 de mai de 2018

Poesia de Giselda Pereira - Trabalhadores


TRABALHADORES

Médicos ou professores
Escritores ou advogados
Militares ou bancários
Enfermeiros ou vendedores
Cantores e compositores
Em qualquer profissão
Vale é a Dedicação...


A Dona de Casa é uma mulher
Que tem várias profissões
Lava ,passa,ensina os filhos
Limpa a casa e ainda dirige
Sem ter remuneração...


E os Professores de Dança
Que nos proporcionam prazer
Precisam ser mais valorizados
Pois nos trazem o Lazer...


Profissionais da Culinária
Que comidas gostosas fazem
Quando os pratos estão na mesa
Beleza e sabor nos trazem


E os Profissionais da Beleza
Que levam muita energia
Para Homens e Mulheres
Que querem se embelezar
E sentir mais alegria...


São tantas as profissões
São tantos profissionais
E não podendo esquecer
Dos que fazem serviços gerais
Se eu fosse colocar todos aqui
Não terminava jamais...


Giselda Pereira

19 de abr de 2018

Poesia de Clóvis Campêlo - Pelas ruas do Recife


PELAS RUAS DO RECIFE


Fonte - Clóvis Campêlo, 2000


Pelas ruas do Recife
surge a novidade,
afirmam-se credos seculares,
renascem mitos modernos.

Pelas ruas do Recife
dorme-se o sono dos justos,
cessam as palavras,
falam por si sós os fatos.

Pelas ruas do Recife
caminha a humanidade,
correm as notícias,
dispara a revolução.

Pelas ruas do Recife
travam-se todas as lutas,
cruzam-se todos os olhares,
reverenciam-se todos os deuses.

Pelas ruas do Recife
transitam todos os anjos,
ocorrem todas as mortes,
condensam-se todas as imagens.



Clóvis Campêlo


Poesia de Margarett Leite - Sempre Completo


SEMPRE COMPLEMENTO


Quem ouviu os uivos 
que assustam as esperanças 
que habitam nas montanhas de Judá?

Quem dispensou todas as largas portas?
E renegou o ego, dessa porta 
que não quero passar?

Quem silenciosamente planejou beber,
toda a água cristalina que há no meu corpo

Quem tentou derramar os meus cristais
de amor e esperança, de luz e vida eterna?
Quem tentou derramar em si meus cristais?
Até não mais puder?

Quem passou pelo portal da humanidade 
e deitou sereno , todo dentro do meu ser.
Na luz perene que habita o meu viver, ?

Nesse amor imortal que sempre me levará
a lagos de amor, e ilhas de ternuras.

Quem consegui subir na montanha 
que é o meu coração?
Nesse espaço sagrado e sem rancor
onde os uivos estridentes não chegarão.

Este sim , chegará comigo lá!
Me trazendo a paz, e o amor.

Sem guerras de entranhas
com sedes nunca ditas
por se complementar
todo dentro do meu ser.


Margarett Leite

Poesia de Lucélia Gomes - Uma viagem

18 DE ABRIL ,DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL 
Fonte - Google Imags


UMA VIAGEM

Ler...
É viajar no tempo
no conhecimento 
no mundo da imaginação
viver emoções
expressões
abraçar personagens
um vasto aprendizado
Quem ler não se limita
instiga até o ultimo ato
argumenta, enfrenta adversidades 
A leitura deixa a vida mais colorida
quem ler explica
ganha experiências, inventa
faz arte, tem seu espaço
O livro tem essa função
abre a mente, pra comunicação
é uma explosão de linguagem
elementos , imagens
quem ler entende, ensina
tem o passaporte nas mãos
o livro é assim
pra você e pra mim
um eterno desafio
basta abri-lo...

Lucélia Gomes

13 de abr de 2018

Dueto poético poetisa Alessandra Brander e Francisco Eufrasio - "Serenata de amor"

Fonte - https://aldaalvesbarbosa.com/tag/luar/

DUETO POÉTICO - SERENATA DE AMOR

Vou fazer uma bela serenata na janela do seu quarto. 
Vou despertar o seu sono com o som da minha voz...
Revelar pra todo mundo o quanto te amo! 
Abra  a janela e venha logo me abraçar ao som desta bela serenata...

Poetisa
Alessandra Brander



Eu acordei com os acordes da viola e com suavidade da sua voz cantando o nosso hino de amor. 
O meu coração cheio de amor celebrar a sua encantadora presença. 
Olho para você e vejo a tua áurea sorrindo Feliz, pois saber que o teu verdadeiro amor vai abrir a porta do coração para te,  pois o amor que sinto por você é tão grande que o meu coração disponibilizou a porta e janela para você entrar e fazer morada eterna amor meu. 
E juntos compartilharemos a maior história de amor de nossas vidas. 

Poeta 
Francisco Eufrasio 
10  / 04 / 2018