11 de nov de 2018

CONVITE - Sarau da Biblioteca Pública de Olinda


Poesia de Joana D'arc



Fote - Site www.clickguarulhos.com.br

Um abraço com calor
Um sorriso com amor
Uma palavra com carinho
Delicada como a flor
Um ajudando o outro
Reconhecendo seu valor
Tudo isso
Agrada ao Criador.


Autora: Joana D´arc

Poesia de Giselda Camilo - Poesia


Poesia 

Basta um olhar apurado
E lá está ela, (a)mostrando-se
Bela mesmo que triste
Formosa mesmo que deficiente
Glamorosa mesmo que simples
Ela se mostra perfeita
Em toda a Natureza
Contagiando, expondo magia
Na paisagem, no homem
Animais, terra, 
Fogo, água e ar
Com ou sem drama, 
Com ou sem dilema
Ela se esvai do poeta
Em forma de poema
Ela é registrada no click
Da câmera,  esplêndida
Salta das mãos do artista
Em diversas formas
E não dá para descartar
Nenhuma forma
Dessa harmonia
Dessa poesia
Que contagia!

Giselda Camilo 
31/10/2018

Viva a poesia!

Poesia de Iracema da Fonseca - O encontro da vida


Fonte - Site osegredo.com.br

O ENCANTO DA VIDA



O encanto  da vida nasce 

Nasce de palavras silenciosas
que  tudo expressa,
Nasce de um  lento alento do calor
das grandes paixão,
Nasce de um caminho torto 
abrigado de lembranças,
Nasce de um sorriso inesperado,que faz ecos
de felicidade,
Nasce de uma vida a ser enlaçada à outra,
Nasce de  estranhos pensamentos distraído ,
Nasce do encanto no encontros  de entregas
dos  eternos apaixonados...
Também nasce  de um abraço nu,
todo amassado,
Nasce do  sabor de um beijo 
atrapalhado e molhado,
Então permita-se viver,abraçar,beijar
rir,sonhar amar e se apaixonar muitas vezes...
...porque a vida não te esquece e 
te  amanhece sempre... 



Iracema da Fonseca (Cema)



30 de out de 2018

Homenagem ao Dia do Livro Nacional (29/10)



COM A LEITURA EU CONSIGO SER INCLUÍDA NO MUNDO*

Fonte - Site Pngtree



Pra frequentar uma escola
Passei grande privação
Doía no coração
Não ter lanche nem sacola
Cheguei a pedir esmola
Num sofrimento profundo
Me equilíbrio, não afundo
E pra todo mundo eu digo
Com a leitura eu consigo
Ser incluída no mundo

Madalena Castro

______


Desde criança se pode

Com os livros viajar
Histórias imaginar
As vogais e consoantes
Formando textos brilhantes
Conhecimento aprofundo
Ideias vem num segundo
Estudando eu prossigo
Com a leitura consigo
Ser incluído no mundo

Giselda Pereira





*Mote de Madalena Castro

13 de ago de 2018

Poesia de Luciene Gomes - E depois, da tempestade...


E depois; da Tempestade...

As tardes de inverno, já são desalentos para muitos 
que não sentem paz..
O caos, conhecido e companheiro 
faz tortura o mês inteiro, e nem pensa em nos deixar !
No repente, e ligeiro desatino, ouvisse sussurros 
e o murmurar incompreensível..
Faz despertar a grande fera, que pode matar 
em um simples... olhar!!!
Do que, pensar de vir ?!
Os muitos, que não forem atingidos, guarda no peito
um gemido, temendo, do que se possa fazer...
O brilho do sol que vem, chega pra aquecer 
aos que buscarem a vontade de viver
que perdida; parecia ser ?!
Pelas grandes inconstâncias da vida!!!
E ver; lá outra vez a distância 
se abrir em sorrisos a esperança
de outra vez, no reflexo das muitas águas 
um semblante...
Do que já estava adormecido...


@Copyright/2018 
Imagem Google

14 de mai de 2018

Poesia de Giselda Pereira - Mãe é assim


MÃE É ASSIM

É socorro na beira da estrada
É calmaria numa tempestade.
E viver numa eterna ansiedade...
É o atalho do caminho
O aconchego do ninho...


É forte como correntes
Isso mostra no abraço
É a água que molha a terra
Não se queixa de cansaço...

Mãe é assim...

È o primeiro verso da poesia
É a canção não terminada
È um jardim com margaridas
MÃE...é a própria VIDA...


Quando a MÃE faz a partida
Fica no peito a ferida
As estrelas que estão a brilhar
São os olhinhos delas
Que vão sempre nos guardar.


Giselda Pereira

11 de mai de 2018

Poesia de Margarett Leite - Minha Mãe



MINHA MÃE

Singela e bela

amor silencioso
presente maior
seguro e forte


Sempre colo

na hora certa 
medida exata
sublime ação


Mãe medida exata 

não te esqueci
é fortaleza
exemplo exato 
sem vida ou morte
eternidade no coração.


Margarett Leite


10 de mai de 2018

Poesia de Madalena Castro - Recordação



RECORDAÇÃO

Me recordo de você mãezinha
Ao meu lado enquanto eu sofria
Seu corpinho abraçado ao meu
Com carinho, o meu corpo aquecia

Muitos dias, cantei de tristeza
Pra fingir, que era de alegria
 Mas por dentro, eu estava chorando
Só Deus sabe, o quanto eu sofria

Quando a dor me fazia tremer
Seus olhinhos, chorando eu via
Choro agora, sozinha, escondida
 Na tristeza, ou na minha alegria

Quantas vezes, eu chorava baixinho
Você via, e se punha a chorar
Não tinha recurso nenhum
Porém tinha, seu amor pra dar

Mamãezinha, você foi guerreira
Hoje é musa e minha inspiração
O remédio pra minha saudade
O sossego, pro meu coração

Madalena Castro

                          2014

Poesia de Giselda Camilo - De Mães e Pão



De Mães e Pão

Com o canto dos passarinhos
Revoando dos seus ninhos
Cedinho,
Por entre rosas e espinhos,
Penso em Maria
Que, um dia, também cedinho
Acordou

E para seu filho Jesus, o pão
Preparou
Mãe zeloza e amorosa
A todos filhos oferta o “pão”
Ao alimentar e saciar a fome
Daqueles que A procuram.
Mãe a nos dar o conforto
Nas horas de dor e desespero
Intercendendo junto ao Pai
Ao Filho e ao Espírito Santo
Que no Ventre Sagrado carregou 

E ao mundo em forma de humano
Presenteou.

Giselda Camilo 

Poesia de Virgolino Lima - Grito



Grito


Mãe, eu grito
Buscando a felicidade
Com esperança, sem esquecer
Os meus gritos de criança
Quando nas madrugadas
Eu gritava...
Eu gritava...
A senhora se levantava 
Para me acalentar
Fui crescendo e gritando
Em busca da felicidade
E aquele menino 
Que gritava , gritava...
Hoje canta, solta a voz 
Canta poesias das lembranças que tem
Lembrando dos gritos
Hoje lembro dos beijos e abraços.
Mãe, eu grito
Sempre que puder
Grito também pelo amor de uma mulher
Que mesmo velhinha
Não me esquece
E me quer.


Virgolino Lima
01-10-2014