24 de abr de 2019

Poesia de Madalena Castro - Meu grande Amigo



MEU GRANDE AMIGO

Sob uma chuva fina
Estavas abandonado
Jogado no lixo
O vento, parecia querer
Arrancar-te os pedaços
Agitado, giravas
Pra lá e pra cá

Cheguei mais perto
Vi que falavas de amor
Te peguei com carinho
Te acomodei em meus braços
E te levei para casa

Recuperei teu corpo
Te coloquei na estante,
Entre outros livros
Ficastes à vontade.
Jamais esquecerei
O sentimento
Que nasceu entre nós
Naquele dia.
Todas as vezes que te vejo
Acaricio teu corpo
E te amo cada vez mais
Livro querido!

Madalena Castro


Poesia de Miquéias Crasto - Paisagens

Fonte - www.crescermais.org

Paisagens

Em tudo te vejo, percebo ao longe,
Sozinho te encontro e logo me encanto.

Há PAISAGEM bela, serena e meiga
Que ao toque de um dedo, te retrato inteira.

PAISAGEM eterna, que se renova cada dia
Distante ou perto meus olhos vigiam.
Em busca de alegria...  alegria tamanha
E singela que a mim fascina deixando-me terno.

PAISAGEM paisagem, não fujas de mim...
Me deixas sereno, me faz acalmar, me tornas pequeno
E faz-me te amar.

Miquéias Crasto
( 24/04/19)

Poesia de Magaly Pessoa - Degraus da Vida


18 de abr de 2019

Poema de Alberto Valença Lima - Passeando na Feira

Fonte - G1 Campinas

PASSEANDO NA FEIRA 

Caldo de cana e limão
Bolo bacia na mão
Festa de sábado com cordel.

@Alberto Valença Lima

9 de abr de 2019

Poesia de Giselda Camilo - Sobre amores...



Sobre amores...

Amores de todas  as formas
Amores de todas  as cores
Amores de perto e de longe
Amores que confortam dores 

Amores de solidariedade
Amores de salvação 
Amores de ontem e de hoje
Amores do coração 

Amores do dia e da noite
Amores que vêm e vão
Amores de pai, mãe, avós 
Amores de filhos, cônjuge, de irmão 

São amores que impulsionam
São amores que fazem sentido
São amores que fazem brilhar
O escuro mais escondido

Sem amores não há vida
Amores procriam, perpetuam
Levam a mensagem de luz
E pelo ar, só amores flutuam.


Giselda Camilo
26/03/2019

22 de mar de 2019

Poesia de Giselda Pereira - Adoro Juntar caixinhas, tenho várias...

Fonte - http://novavidanoreino.blogspot.com


ADORO JUNTAR CAIXINHAS, TENHO VÁRIAS...

Juntei tantas caixinhas
De diferentes modelos e cores
E nesses espaços importantes
Guardo também meus amores...
Da minha infância guardei
A dedicação dos meus pais
Meu irmão que já se foi
Os meus avós  tão queridos
Esse amor tão repartido...

A saudade da adolescência
Está guardada na caixinha
Numa caixinha bem querida
Pois jamais será esquecida...
Meu tempo de estudante
Namoros eram constantes
A paixão que  aparecia
E logo depois sumia...

Aí veio um grande amor
Que pensei seria pra sempre
Mas durou o necessário
Pois outro viria pra frente...
Ainda  passou um tempo
Pra esse amor chegar
Mas  quando ele chegou
Veio forte pra ficar...

Amei ,amei
Usei todos os meus sentidos
Vivemos uma vida inteira
Essa louca paixão verdadeira...
Numa caixinha especial
Guardo esse meu amor
Deus precisando dele
Pra enfeitar os canteiros
Colocou-o entre rosas e jasmins
Tirando-o de perto de mim...  


Giselda  Pereira

Poesia de Giselda Pereira - A fonte do Amor


A FONTE DO AMOR

Olhei  teus  olhos
Me imaginei com você
Lembrando de encontros passados
De abraços e beijos trocados

Lembrei da cachoeira
A água corria forte,porém tranqüila
Tranqüilo parecia nosso Amor!

Corríamos felizes por aquelas pedras
Parecia a estrada da felicidade
A água molhando nossos corpos
O sol aquecia nosso amor...

Mas tudo isso é lembrança
A fonte existe...
O meu amor existe
Mas não tenho mais você!
                  
  Giselda Pereira
Gisis

Publicado no Recanto das Letras em 03/01/2008
Código do texto: T801508

19 de mar de 2019

Poesia de Madalena Castro - Olinda

Fonte - Site redescobrimento.com.br


GALOPE  - OLINDA
 (Galope à beira mar)



Um dia passando nas ruas de Olinda
Vi lindas garotas de bota e boné
Também vi beatas rezando com fé
Vi dois violeiros cantando em Olinda
Canção delicada suave e tão linda
Enquanto os clarins lá na frente a tocar
Vi uma menina feliz a frevar
Seguindo o batuque que bem de repente
Fazia barulho na frente da gente
Nos dez de galope na beira do mar


Madalena Castro

14/10/2018

Poesia de Madalena Castro - Madalena



MADALENA
       (Galope à beira mar)


Eu sou Madalena nascida na roça
Não tenho fortuna e tão pouco vaidade
Cresci trabalhando com garra e vontade
Profunda saudade meu rosto destroça
Lembrando dos dias na minha palhoça
Com toda beleza do sol a brilhar
No mar da lembrança procuro nadar
Sou forte e valente sem medo de nada
Com Deus eu prossigo na mais longa estrada
Cantando galope na beira do mar



             Madalena Castro

                   17/07/18

15 de mar de 2019

Poeisa de Alberto Valença Lima - Dia da Poesia


Fonte - Prefeitura de Cupira, PE

DIA DA POESIA

Poema dilui angústia

Capta a dor
Espalha beleza
Cria laços.

Poesia salva vidas.

Reverbera!


(Alberto Valença Lima)

8 de mar de 2019

Poesia de Alberto Valença Lima - Multiplicidade da mulher

Homenagem à mulher

Hoje é um dia especial. Comemora-se em todo o mundo, o Dia Internacional da Mulher. A ela hoje o dia é dedicado.

É à mulher que se associam muitas palavras que traduzem um pouco do ser que ela é:
Àgua, Lua, Terra, Rosa, Força, Feminilidade, Vida, Natureza, Beleza, Singeleza, Pele, Música, Poesia, Incerteza, Carência, Luz, Semente, Paixão, Ternura. Flor...

Para cada uma dessas palavras criei um verso à mulher associado.
É a ela que quero hoje homenagear. Mas o faço, na pessoa de uma única mulher – Maria do Socorro Barreto. Ela é a quem dedico o meu amor. São para ela, os versos que a seguir compus.




Multiplicidade da Mulher
Versos de Alberto Valença Lima

Na Água a mulher tem forma,
Da Terra, pare sua cria
A Vida, ela nutre e torna macia
Com Paixão, ela lhe devora
Mas se tem Carência, ela chora.
Sua Ternura sempre aflora
E se recebe uma Flor, a mulher é só alegria
A música sempre lhe faz sentir
Tudo que em sua essência lhe emprestou a Natureza
À Lua, todos os namorados lhe dedicam a Inconstância
E muitos até lhe compõem Poesias
Mas nada nem ninguém, possui a sua Beleza.
Sua pele é como o veludo, sempre macia.
E sua Força é tão grande, que até a dor a mulher silencia.
A mulher é também Semente, se o amor lhe chega ardente.
Mas a sua Singeleza pode, em versos, se tornar valor.
A Rosa com a mulher, sempre se associa
E com um toque de Incerteza, hoje ela o mundo conquistou
E com sua Feminilidade, o meu coração esta mulher arrebatou.

7 de mar de 2019


Poesia de Miquéias Crasto




Hoje ao olhar o mar lembrei-me de ti...
A olhar as flores lembrei-me de ti...
Ao ouvir o canto dos pássaros lembrei-me de ti...
Então tu me perguntas: como lembras tanto de mim?
e eu simplesmente responder-te-ei assim: lembro-me de ti sempre que algo belo meus olhos podem ver.

Miquéias Crasto