2 de jan de 2018

Poesia de Selma Ratis - Maria

Fonte - http://ivannacosta.zip.net/arch2010-03-07_2010-03-13.html

MARIA

O que seria do mundo
sem as Marias?
Maria que foi, que fica
Maria que vai e volta
Que chama,que grita.
Feliz quem teve uma
mãe sensata e colocou
Em seu nome: Maria.
Você, Maria, cresceu cheia 
De graça e só veio a dar
Importância ao seu nome
Quando o amor acordou
aAmulher que estava muda
E quieta, perdida nos sonhos
Que em seu peito fervia.
Feliz,é também, o homem
que tem em sua vida
Nem que seja,uma só,Maria.

Selma Ratis

Poesia de Elizabeth Brandt



No jarro de cáctus
Os três botões se preparam
Quarteto formar


Elizabeth Brandt

25 de dez de 2017

Poesia de Madalena Castro - Obrigada, Senhor


OBRIGADA, SENHOR

Obrigada, Senhor por me dar
Muita paz, esperança e amor
Para que eu pudesse enfrentar
Os problemas da vida sem dor


Obrigada pelos meus ouvidos
Pela graça que eu tenho de ouvir 
O trinado de um passarinho
E o som de criança a sorrir


Obrigada, Senhor por me dar
Esta mente ativa e sadia
Pelos olhos que me mostram sempre
Os caminhos do meu dia a dia


Obrigada Pelas minhas pernas
Que me levam aonde eu quero ir
Pelos braços e mão que aprenderam
A fazer tudo aquilo que fiz


Pelo amor de uma mãe carinhosa
Tão sincera, tão pura e querida
Enfim,meu Senhor e meu Deus
Agradeço por me dar a vida


Madalena Castro

Poesia de Margarett Leite - Hoje é dia de Natal


Hoje é o dia de Natal

Sem temor, nasceu
a luz, em toda Sua 
grandeza e humildade
poderia escolher 
ter nascido onde quisesse 
nesse pequeno planeta 
de uma entre milhares 
de vias estrelares 
Criador , virou ser em carne 
para ser justo, não usou o
grande poder que tinha.
Usou a humildade como escola 
a união dos seres como vida 
amou , e foi amado , como Salvador 
sentou na montanha e ensinou 
o verdadeiro caminho da salvação 
hoje é Natal ...sempre será Natal 
até Ele o filho de Deus voltar...
Seremos multiplicadores da palavra 
amor , fraternidade, igualdade , amor 
infinito e sem mágoa , fez a terra 
receber o sangue dos inocentes 
para saber ser justo, até a hora 
do resgate. É Natal. Jesus nunca 
morreu. Está reinando e salvando 
sua luz nos corações dos filhos 
que tem boa vontade , e fé.
Estejam atentos, astutos, e alertas 
até quando será só natal.??? Oremos
a terra geme e chora, a dor dos inocentes
a terra espera a hora da libertação.

Margarett Leite

 

Poesia de Alessandra Brander - Natal é Jesus


Natal é Jesus

Jesus nasceu na manjedoura
para cumprir a sua missão e pregar a paz no coração...
Cresceu para resplandecer o mundo, não cobrou os seus atos de milagres e tudo isso para salvar a humanidade.
Serviu na terra com muito amor, paz e fraternidade... Mesmo sendo ferido nunca deixou de amar de verdade.
Natal é deixar renascer dentro de nós todos os dias o amor incondicional de Jesus que nos conduz na sua divina luz.

(Alessandra Brander)
dez-2017



24 de dez de 2017

Poesia de Luciene Gomes - Natal


NATAL!


E mais uma vez, esperanças se renovam...
Como o amanhecer do novo dia
assim, como os ventos que purificam o ar que se respira

a natureza desabrocha a olhos vistos 
e o crescimento da vida plena, torna incrível 
o bem precioso dos seres
dos mais raros, aos singelos deles...
Ah! Natal!
Das flores, árvores, frutos...
De tudo que encanta e aos homens 
que assim, como a vida, transformar-se
aos lares, que constroem!
Ao brilho, dos olhos puros 
e sorrisos de crianças, das flores coloridas, de jardins cuidados
dos campos enfeitados, de caminhos alongados
e o mestre da vida... 
É; natal!
Que hoje; e agora chega
desde a mais tenra das alegrias, ao retorno
de lembranças, de um coração brando
para com certeza; iluminar a todos 
e que assim; seja! Seus dias...
Natal!
E que habite em todo ser, espalhando pelo universo 
as sementes, dessa terra amada, 
abençoada por deus! 
Viva, Jesus! Ele nasceu...


Luciene B Gomes(Luca-BG)
@copyright /2017

Poesia de Lucélia Gomes - De onde vem o Natal...


DE ONDE VEM O NATAL...

 Vem de um celeiro
sem ostentação
sem raça, nem cor
o natal é o amor e a esperança 
que move o coração...
É o sentimento puro, de bondade
que regenera e perdoa a humanidade
para uns é argumento
pra o cristão é convicção
é o nascimento de Jesus
é a luz quebrando a escuridão...
Natal vem de dentro
é instrumento de transformação
para aqueles que ignoram o sentido
um aviso: abra bem os ouvidos
ouça a voz da sabedoria
receba: paz e harmonia
e o nascer de um novo dia ...
  
LUCÉLIA GOMES 

22 de dez de 2017

Poesia de Margarett Leite - Esperança


ESPERANÇA

(Poesia de Margarett Leite)


Ela é assim, brota de onde menos se espera
Nasce em lugares, onde menos se espera
E nutre à vida de quem a tem

A esperança é a fé, em ti contida
É o grão da luz da vida
Do Deus que sempre te dará a mão

A esperança é vida nova que brota
É o alimento que renova
Cada célula do teu coração

Esperança é paz 
É fé no amor divino
É viver como um menino

A cada dia,deixe o seu quinhão
Que a fé alimentará a tropa
Dos que de Deus terão a salvação

Esperança são lágrimas que se secam
É sorriso que brota do abismo
Como o fio de água, vida do chão

A esperança é saber que Deus está vivo
E vive dentro de ti como Cativo
Das tuas santas emoções

Vá!Vive com Deus no amor infindo
E te alimentes deste amor tão lindo
Que trará esperança, no teu peito chão.

Crônica de Giselda Camilo - Imagine!

Fonte - Internet

Imagine!

      Às vezes ele caminhava ao longo da avenida. Às vezes  estava sentado em um banquinho na calçada da barraca de  lanches da mesma avenida, na qual a menina passava  a caminho de onde trabalhava. Eram pontuais. Ela indo trabalhar... Ele lanchando para, provavelmente,  também ir trabalhar.
      Ele lembrava muito o famoso cantor com aquela magreza comprida, cabelos longos, lisos, abaixo dos ombros e óculos redondos... E ela imaginava.
    Cantarolava baixinho sonhando as maravilhas da canção propagada pelo cantor: paz entre os homens, paz entre as nações.  Paz... nenhuma guerra. Todos iguais.
      Imaginava...
      E ela sorria. Sorria para ele. Mas sorria mais para o cantor. Para sua música.  Para seu sonho. Para o sonho de todos.
      Sorria sempre e um dia até arriscou um sinal com os dedos de PAZ E  AMOR...e ele retribuiu!!! E sorriu!
      E um dia ele não estava mais lá. O sorriso se foi. 
      E sempre que passa por lá  a menina sorrir e imagina...
      
      Imagine!

Giselda Camilo
09/10/2017

3 de dez de 2017

Poesia de Madalena Castro - Sino do meu coração


SINO DO MEU CORAÇÃO

Bate o sino pequenino
Bate com emoção
Que a alegria
Tomou conta
Do meu coração

Paz na terra
Peçam todos
A uma só voz
Que o Deus
Deus menino
Já está entre nós

Hoje a noite é festa
Pra comemorar
O Natal feliz
Que está pra chegar

E agradecer
Graças alcançadas
E toda amizade
Que foi conquistada

Bate o sino Pequenino
Bate com emoção
Que a alegria
Tomou conta
Do meu coração

Paz na terra
Peçam todos
A uma só voz
Que o Deus
Deus menino
Já está entre nós

  
Desejo um Natal
Com muita fartura
Mais fraternidade
Entre as criaturas

E um Ano Novo
Cheio de alegria
Paz, Prosperidade
Pra toda família


Bate o sino pequenino....


Madalena Castro

Confraternização da SPVO 2017

Confraternização da SPVO

Local: Jardins da Biblioteca Pública de Olinda
02/12/2017

Mais fotos clique aqui

Poesia de Eduardo Pereira (Dudu) - SPVO





28 de nov de 2017

Poesia de Sérgio Accioly - Olinda



Olinda


Olinda -
Terreno de colinas,
de carnavais,
de ruas, becos e ladeiras,
de subir.

Do Alto da Sé,
a ver o mar,
e o casario colonial.

Que respira o ar republicano,
desde o tempo de João Fernandes Vieira,
de uma multidão de heróis,
que começaram, com muita luta,
a erguer um país.

País da liberdade,
país de nobres guerreiros,
país de gloriosos poetas, 
país dos brasileiros.
País de Olinda! -
Brasil!


Sérgio Accioly

Poesia de Neide Germano - Pernambucar é...


Pernambucar é...

O meu pernambucar não é estritamente geográfico
Nem foneticamente ortográfico
Embora excessivamente poético


O meu pernambucar 
Ta na pureza do meu canto
No meu modo de falar
De etimologia popular


O meu pernambucar está nos meus gestos
No meu jeito de ver a vida
Na espontaneidade dos meus versos


E é por isso que eu digo:
Pernambucano não se exibe se amostra
Não se atreve se enxire
Não manda beijo, manda xero com “x”


Pernambucano não se apressa se avexa
Não fica zangado, fica arretado
Não canta música, canta meludia


Pernambucano não faz show, faz espetáculo
Quando não verseja, faz prosa
Quando não prosa, anedota
Quando não anedota, palestra


Pernambucar é ...
Adocicar o imperativo
Substantivar o adjetivo
É transformar o substantivo em verbo


Pernambucar é assim:
Eu Pernambuco
Tu pernambucas
Nós pernambucamos...


Poesia de Alessandra Brander - Cordelista


CORDELISTA

C umpre a métrica
O rganizado na rima 
R espeitável público 
D estemido no que faz 
E xcepcional repentista 
L ouvável é a sua 
I nspiração poética 
S omado a sua arte 
T erno de alegria 
A o cordelista que me contagia



Parabéns a todos os cordelistas!!!


Alessandra Brander