8 de ago de 2017

Poesia de João Diogo - As Vidimas

Fonte - Erico Santos

VINDIMAS


No Universo, as Vindimas;
Contrastando com viçosas culturas...
São, como se fora molduras,
Ilustrando castas, em forma de rimas.

Semeadora de cachos preciosos!
Ela abre todas as portas mundiais;
Nas ramadas, suas colheitas anuais,
Vêm beijar seus mostos generosos.

Com todo o glamour que a vindima exala...
Há todo um élan que a vindima oferece;
É a tradição que anualmente agradece,
Os mais belos vinhedos, que a vindima escala.

Ao tornar as colheitas mais rotativas
E porque não, mais suculentas!
As vindimas têm, o condão de estarem isentas
Às formulas pioneiras e primitivas.

O Céu de estrelas se veste!
Em fluídos de vermelho e misticismo!
Qual vibração no nosso organismo,
Ao introduzir o néctar, que a vindima reveste.

Com a alegria mais acesa e adocicada
Nossas cabeças, ela invade com sutileza!
No seio dos seus sabores, a natureza,
Convida-nos, para uma vindima aromatizada.


RECIFE- 2 DE AGOSTO DE 2017

João Diogo

Nenhum comentário: