7 de jun de 2017

Poesia de João Diogo - Meu canteiro de mimosas


MEU CANTEIRO DE MIMOSAS


Não tenho, mas muito desejava...
De certeza me entristece!
Ter mimosas... Oh!  Como adorava!
Mas no maior desespero busquei
Por todo o Brasil, não encontrei,
Aquela, que me enlouquece.

Vi terras para mim desconhecidas!
Assim como outras terras por onde andei...
Flor mimosa, nem uma parecida;
Talvez porque o clima tropical
De tão quente e sazonal
Não produzisse, nem nas terras que inventei...

Gosto muito da mimosa flor!
Nunca tive um canteiro meu;
Se eu tivesse esse amor
Mais o jardim do meu encanto;
Seria gratificante o meu espanto
E da mimosa, que em mim nasceu!

Criou-se, formou-se ainda na raiz!
Na minha mente a sustentei...
Como flor ela me faz feliz
Pois a criei quase maquinalmente;
Com a aquarela, da minha mente!
Mais a poesia, que a ela dediquei.

Não faço versos de ressureição,
Não faço porque não sei!
Mas num espírito de inspiração
Daria de bom grado a vida
Duma vida que eu quero vivida
Mais a mimosa que sempre amei.


Recife- 3 de junho de 2017-João Diogo

Nenhum comentário: