7 de dez de 2016

Poesia de João Diogo - Nascimento


NASCIMENTO

Aceitareis o Nascimento
Como eu o antevejo?
Da cor do céu!
Resplandecente!
Único e imortal!
Como se fora um privilégio;
Eu o aceito
Como mortal!
Porque tudo que há de melhor
E de mais sagrado!
Revive.
Em seu “corpo nu”
De recém-nascido!
De estrutura pura
E sacramentada!
“Ele” como Messias,
É e será sempre
Bem-vindo.
Porque nada,
Se lhe poderá exigir!
Porque nada será efémero!
Assim como também nada
Poder-se-á reclamar,
Porque a Lei é divina e Eterna
Tal a realidade intocável,
Submissa ao Redentor!
Que visão total,
Deste “ser menino”!
Que nasceu à época
Das imperfeições
E do desencanto libertino!
Para salvar o Mundo...
Tão carente
De Paz
E de Amor.



JOÃO DIOGO

Recife, 03/12/2016

Nenhum comentário: