17 de out de 2016

Poesia de Elise Schiffer - Surfista Sertanejo



Surfista Sertanejo


Deitado no solo rachado do sertão,
sou escravo da seca e da fome.
Surfo nas nuvens jogadas ao léu,
levando meus sonhos para brincarem no céu.
Correndo ao vento os rios flutuantes,
vão semeando esperança no inexistente.
Meu solo rachado espera gotas de vida,
gotas de nuvens em forma de água.
Quando as gotas chegarem, 
a vida vai florescer e o gado engordar.
Os rios flutuantes vão virar poça, lago e mar, 
do solo seco e rachado a esperança vai renascer.
Nas promessas das gotas de vida,
meus sonhos vão surfar no verde do sertão.

Elise Schiffer

Nenhum comentário: