8 de mai de 2016

Poesia de Valque Santos: Coisas Dissipadas


COISAS DISSIPADAS
Nem lembro mais
faz tempo faz
pensar em você

o coração se agita.

As trades foram e não voltam
mesmo assim
ainda bebo do vinho
tinto da esperança.

Eu sei... Eu sei...
que você não volta
que não é capaz
nem lembra
daquilo que nos tocava
o caule das árvores
rabiscada nosso nome.

Faz tempo faz
quero você de volta
mostra que está afim.
Entra, fecha a porta.

Texto do livro: POR SER EXATO

@Copyright 2015 Valque Santos
Recife – Pernambuco - Brasil.
Foto ilustrativa - Jandira Nunes

Nenhum comentário: