16 de dez de 2015

Poesia de Johnny D. - Amarim (À Marim)


Amarim (À Marim)

Sei que o doce rio de Rio Doce
Passa longe de ser doce hoje em dia
Os Tabajaras já sumiram a muito de sua Cidade
O Atlântico não é tão fã de seu Jardim
Como não o é o Brasil dos seus dois
A Casa Caiada está pichada e esquecida
Bonsucesso não é algo tão comum por aqui mais
O Ouro Preto parece que foi todo saqueado
As Águas Compridas parecem Aguazinhas ultimamente
O Sítio e o Bairro já não são tão Novos assim
O Carmo parece ter um carma do esquecimento
Os Peixinhos acabaram na feira livre
A Caixa D'Água esvaziou e a Santa Casa não é mais tão santa
Salgadinho está ensosso e o Arcoverde murchou
Fragoso fragrante do sumiço da fragrância
Do Varadouro menos dourado que outrora
Del Chifre não tem mais o vigor dos Milagres

Pode tudo isso ser verdade, quem sabe
Mas sei que ainda posso gritar: “Ó linda vista!”
Quando o amor que sinto por você, meu lar
Não durar apenas os dias de carnaval
E fazer por onde mudar toda a estrofe acima
Pra nunca mais precisar de a declamar


Johnnÿ D.

Nenhum comentário: