17 de abr de 2015

Poesia de Elizabeth Brandt - Raça



RAÇA

QUANDO ALÇAR DE CARCARÁ VOLTEIA
DEIXA O SOLUÇAR VAGAR
CRAVA-SE NA CAPOEIRA

MULATA FACEIRA A REBOLAR

QUANDO O CABOCLO TOCA GANZÁ
PUXA SOM DE PRIMEIRA
MOLEQUES SUAM ALGIBEIRA
DEIXAM RECADOS SEM PAR

DOAM CORPOS,ALMAS
COBREM HISTORIAS
PERPETUAM PUNHADOS DE NOBREZA

LIS

Um comentário:

Gisis disse...

Perfeito...Beijosss Giselda