8 de mar de 2015

Poesia de Olímpio Bonald Neto - Quando chegar o derradeiro dia


Quando chegar o derradeiro dia

Necrófobo que sou, a Morte engano
Amando mais a Vida e a ti, Amor.
Que, assim, vou adiando, a cada ano,
A Pena Capital do pecador.

E quando, Amada, eu te deixar, um dia
E, a Sós, fizer a última viagem
Pelos campos azuis da Poesia
Recorda-te de mim feito miragem

Da Natura moldando a minha vida
Com o destino final do transgressor
Que deixará de herança o próprio Amor.

E disto viveras, agradecida
Ao preservar em mim todo o Mistério
Que levarás de nós ao Cemitério...

Olímpio Bonald Neto

Olinda, 16.06.09 a 07.05.10

Nenhum comentário: