29 de set de 2013

Poesia de Aparecida Ramos - Reflexo


Reflexo

Aparecida Ramos
O amor
ficou dentro da bolha.
Na transparência:
— a esfera.
Janela
quadriculada
brilha
na bolha de sabão.
Dentro,
prisioneiro do seu amor,
um homem
espargindo braços:
— solidão.
A luz sem plano:
convergente,
conveniente.
Arcos-íris de dor:
espelhada,
colorida.
Imensidão sem rumo,
inelutável história:
(o que podia ser iluminado),
imperfeito,
insatisfeito.
A levitar nos sonhos,
a olhar, ― sem jamais
tocar os pés no chão.


Nenhum comentário: