26 de jun de 2013

Poesia de Beto Acioli - Para um certo incerto amor


Para um certo incerto amor
Cedo durmo às sombras da incerteza
E te cedo as razões mesmo que falhas
Fácil farto-me com abundantes migalhas
Conformado alimento tua vil avareza
O teu amor sintetiza-se em pobreza
E te pago em moedas de mesma igualha
O futuro é como agulha entre palhas
E o passado, águas cheias de impurezas.
É a carne que se rende à fraqueza
N'alma nasce remorso que se espalha
Em amargos sentimentos de tristeza
Que me vale travar essa vã batalha
Se a história sucumbirá à frieza,
Pras lembranças num álbum de farfalhas?
Beto Acioli 
06/06/2013

Nenhum comentário: