3 de mar de 2013

Poesia de Neyluas - Violência



Violência


Ainda sinto arder em minh’alma
O atrevimento e crueldade de tuas mãos
Espancando o meu corpo
Sangrando o meu coração.

O mesmo corpo que te deu tanto prazer
E como depósito de tuas emoções
Foi teu amigo
Saciando os teus mais fantásticos desejos
Ele te serviu como abrigo.

Ainda vejo refletido no espelho
A ira do teu ódio
Nas violentas marcas dos teus dedos
Que não viram as súplicas dos meus olhos
Nem as lágrimas de desespero
Que molharam o meu rosto
Tão cheio de espanto
Tão cheio de medo.

Nenhum comentário: