14 de jan de 2013

Poesia de Beto Acioli - Dor sem nome

Dor sem nome


Inseguro de ti faço-me em frio deserto
Ecôo o silêncio numa dor que não tem nome
Momentaneamente, em mim, todo o amor some
Suspenso fica, ocuta-se em fuga, decerto

Despercebo o óbvio maquino aquém do incerto
Doces sentimentos vão... por horas me desconserto
Aberto ao medo e à angústia  que carcome-me

Ainda que surte a dor que não tem nome
Comigo, quero ter-te sempre perto
Pra que me mostre o caminho certo
Pra que meu mundo não se desmorone

Ainda peço-
te que não me abandones
Antes que o lógico faça-me desperto
Até que essa dor, de mim, faça-
se longe

Nenhum comentário: