11 de nov de 2012

Poesia de Beto Acioli - Súcubo



Súcubo

Vem lendário súcubo, invadir meus sonhos!
Transpões minha alma e meu corpo bisonho.
Sorves a minha luz, lanças um olhar risonho.

Abrasas minha cama num fogo medonho.
Demônio-mulher és malignidade!
Tua beleza vã é só obscuridade...

Se conheces bem minha passividade,
envolva-me em tuas chamas, sou fragilidade...
Consuma-me em brasas, não mais me acanho...
Tua alma em meu corpo me faz pluralidade.

Quanto mais te tenho mais eu me assanho.
Deixaste de ser sonho pra ser realidade.
Já não sinto medo nem durmo tristonho,
pois tenho um demônio-mulher de verdade!

Beto Acioli

Nenhum comentário: