1 de nov de 2012

Poema de Carlos Gaiza

Na praia

Carlos Gaiza


Pelo céu assopra à vela branca
De ângulos pontiagudos,
Da jangada que sobe e desce
Bem pertinho da beira.
O coqueiro que requebra nessa sintonia.
Lá embaixo, recostados, uma cena de paixão
Sobre a cintilar da areia alva,
De juras de amor eterno.
Com infinitas crinas brancas
No ofuscar do horizonte bucólico.
Fim de tarde.
No outro dia
O espetáculo recomeça.
Tudinho de novo.





Nenhum comentário: