17 de jul de 2012

Poesia de Leonardo Leão

Invisível
Incômodo suspeito,
sujeito cômico:
de que casulo saiu
a senda desta seda?
Teceu-lhe a messe
magnética do mundo
ou a estranha entranha
da aranha que não arranha?
Toquem-se caixas de paz,
o laço do desdém quelônio
se refaz, se fomenta, se inquieta:
não se cerra dentes hienos
ao que ri do tempo, no tempo:
ao livre, findem-se os sentidos!
Leonardo Leão
Recife, 07 de julho de 2012

Nenhum comentário: