17 de jun de 2012

Poesia de Madalena Castro


SÃO JOÃO DE OUTRORA


Uma saudade danada
Sentindo estou nesta hora
Do meu tempo de criança
Do meu São João de outrora
De manhã logo cedinho
A festança começava
O papai cortava a lenha
E a gente carregava
Papai fazia a fogueira
Lá no meio do terreiro
Enquanto a gente esperava
Chagar seu Zé sanfoneiro
Um grupo colhia milho
Vinha outro e descascava
E a mamãe muito contente
A canjica preparava
Mas, era linda demais!
À noite de São João
A fogueira já queimando
Papai soltava balão
 
O sanfoneiro animado
A noite toda tocava
Muito forró e baião
Era o que a turma gostava
 
A juventude feliz
Enchia todo o salão
E o céu ficava todinho
Enfeitado de balão
Da noite de São João
Uma coisa eu não gostava
Adormecia e não via
Quando a festa terminava
            Madalena Castro


Um comentário:

Anônimo disse...

pp