2 de mai de 2012


O meu quarto

O meu quarto e um santuário,
Onde me recolho,
E, de tudo e de todos, me relembro.
E, as suas paredes, tão nuas e frias,
Continuam, o seu silencio, mantendo.

Já devem saber de cor,
Toda esta desventura e alegria,
Que teceram, e tecem,
O padrão da minha vida,
E, que continuam a fazer parte,
Sempre,
Do meu dia a dia.

Mas, para a frente e o caminho,
Que ainda falta ser percorrido,
Deixando para traz as saudades,
De tudo o que já foi,
Sentido,
E, vivido.


 
CUCA GUIDA

Nenhum comentário: