13 de fev de 2012

Poesia de Carlos Gaiza


Poema: frevo Recife – 87

Que frevo é esse de bela canção
Que rasga ouvido, e devora coração
Que treme o corpo
Vai pelo braço e explode na mão.

É o frevo Recife
Que não ta morto no esquife
enfeitado de trabuco
Que atira alegria
E se veste de Imperatriz
Levando guerra de blocos
pro diário de Pernambuco
na praça da meretriz

no rio Capibaribe
esse frevo vai passar
vou tomar banho de frevo
quando esse frevo tocar

Que passa ponte de lá
pro outro lado brincar
que passa ponte de cá
prá quem vem namorar
vai arrastando a gente
e não há quem aguente

Carlos Gaiza

Nenhum comentário: