19 de jan de 2012

Poesia de Valter Fernandes



FAVELA
Residências desordenadas
Submundo de um mundo civilizado
Ruas estreitas, ou quase nada
Dificultando socorro
Dificultando acesso
Dificultando morada.
Endereço de gente feliz
De gente sofrida
De gente esquecida
De gente oprimida
De gente marcada...
Lá, tem música, tem poesia
Tem cultura
Tem criatividade
Tem beleza
Tem paisagem
Tem vida...
As crianças brincam felizes
Para elas, tudo é normal
Não sabem o que é governo
Não sabem o que é desprezo,
Não sabem o papel do político
Nem tampouco o que é justiça social...
Um mundo à parte
Temido
Discriminado
Maltratado
Desgovernado
Favelado.

Valter Fernandes

Nenhum comentário: