13 de dez de 2011

Poesia de Valmir Viana


Corrente de Palavras

Efémero não mora em te
Subjectivo mundo que plasma
Objetividade de um dual ser.
Corrente de palavras dos mares naus.
Perfura o cântico sem ardo,
Na aura de um vate real
Plural semente do ego que mira
coroas dos luzeiros orientais.
Pela odes forma o mundo versos soltos
Palpita há oração contemplativa.
por te palavras vivi vida presente
que alonga horas pra um infinito.

Valmir Viana
Poeta
http://sites.google.com/site/valmirvian

Nenhum comentário: