23 de out de 2011

Poesia Valmir Viana

Haikai

O curso final
da onda é a pedra
em formação.

*********************************
Verso que pinto,
no calmo papel mora
as margens de um rio.

********************************
Homilia de luz
sublime sabedoria,
pousam na alma.

********************************
Um adeus passa,
entre olhares fixo
na mão do agora.

********************************
Vento de curvas
há indicar flores,
são leves sementes.

*******************************
A força do mar
nas ondas do verso
declara uma pluma.

*******************************
Canta a brisa
um céu solidário,
as margens de si.

******************************
Na luva há mão
contida pela forma
descansa em paz.

******************************
Um olhar de luz
entre nuvem cobre,
estrelas ausentes
.

******************************
Semente da flor
ergue cores suaves,
ao mapa o belo.

******************************
O vale vence,
tempo largo e vivo
do lírico ser.

******************************
Paz suave
dorme em nuvem
última essência.

******************************
Uma tarde meiga
medita suave flor,
bela de paz.

******************************
A primavera voou,
há deixar flores,
na terra lunar.

******************************
Os mares azuis
acolhe verde pedra
solitária, alegre.

******************************
Silêncio da brisa,
canto único, sublime,
cala som vago.

******************************
Beija flor só
ama mel, perfume.
Asas de folhagem.

******************************
Canta pássaro
canção de sonhos,
vinhas de poema.
******************************
Campos amável,
olhando margarida
abre caminhos.

******************************
Calor de verão,
manso, e bem vindo
filho único.

******************************
Qual dia belo
é a bela natureza
fincando sementes.

******************************
Quero há lua
que de luz medita,
o perfume do céu.

******************************
Alma simples,
harmonia ao sonhar
vestes no azul.

******************************
Intenso ser fiz
no universo sentir
ao prisma luzir.

******************************
Caminho verde.
trilha azul de
água em liberdade.

******************************
Uma poesia fixa
nos ares do Cosmos,
sombras e criação.

*****************************
A fonte azul
á Aura inteligente
voa por terra.

****************************
luz solar pura
escreves histórias,
no mapa da origem.

****************************
Monte sublime,
do alto divino Ser.
Clara síntese.

****************************
Um adeus passa,
entre olhares fixo
na mão do agora.

***************************
Os navios dança
e pelas águas flui
entre céu aberto.

***************************
Folhas há dançar
numa noite quieta,
toda vista entoa.

***************************
Um anjo há voar
na poesia azulada,
voa seus mares.

***************************
A chuva chega
no claro espelho
da noite lunar.

***************************
Palavra designa
as ideias simples.
O nome um Ser.

***************************
Mares dos ares
assentais no azul,
as reais nuvem.

***************************
Formas humanas.
trilha invisível
da origem simples.

***************************
O Ser único
planta seu jardim,
na fonte clara.
**************************
Puro existir
há alma verdadeira,
anda em sentidos.

**************************
Jasmin feliz
teu perfume sempre
é belo sentimento.

**************************
Uma vida fértil
de natureza plena,
é glória única.

**************************
As folhas dança
no vento outonal.
chega no tempo.

**************************
Pura canção,
primeira harmonia,
da verde estação.

**************************
Essência solar,
filosofia aberta dos
rumos ideal.

**************************
Os mares frios,
ondular de águas,
guarda sua nuvem.

**************************
Uma fonte clara
por vias noturnas,
nasce cor sublime.

**************************
Semente da flor
ergue cores suave,
ao mapa belo.

**************************
Um paraíso
no imenso círculo.
dorme pensando.

**************************
Uma lira soa
canções e silêncio
do mundo, poesia.

*************************
Vento brando
sopro das origens,
guarda uma flor.

************************
Virtude feliz,
guarda há chave
da pena histórica.

************************
Cai há chuva
trazendo pensares,
pra um voo dançar.

************************
O tempo se vai
pelas correntes,
que há vida deixar.

************************
O amor firme
em cristais brilha
força meigas.

************************
A força da voz
forma o eu criação.
Plano de origem.

************************
Dois luzeiros.
Imenso céu livre
encanta jardins.

************************
Vento sublime
onde sobe ao canto
vibra nas copas.
************************
Laço solto
pelo espaço azul
levas sua pluma.

************************
Brilha hás luzes,
de estrela límpida
de cores única.

************************
Vida vivida,
em sonhos acorda.
Essência pura.

************************
Amor palavra.
oculto universo,
essência da luz.

************************
Tempo fértil,
livre como poesia
pisa arco-íris

************************
Estações alegre,
nascente vitória
do astro singular.

************************
Numa rota
os campos Elísio
as cores caminha.

************************
Luz Divina,
Eu Inteligência,
no quadro branco.

***********************
Folhas sublime,
repousa na alma,
flor da Aura.

***********************
Sombra de árvores é
quando há noite
pinta o céu feliz.

***********************
Verde manto
poesia em sombra,
descansa há canção.

***********************
Arco-Íris alegre
pelos horizontes.
andas em sombra.

**********************
Estrela branca,
Cosmos de círculos
cobre pensares.

**********************
As nuvens brancas,
sorrindo vence há
dor solitária.

**********************
Pensar no luar
como em um sonhar,
há fitar teu olhar.

**********************
Natureza bela,
poema divino és,
fonte do Ser.

**********************
Só agora percebo
o valor do olhar.
No bem florido.

**********************
Como teu ser
pisa nesta estrada,
na luz és amor.

**********************
Nasce na noite
em que há cidade dorme,
há luz do sol.

***********************
Noite dos sonhos.
das estrelas múltiplas
acordaram o dia.

***********************
Claro monte,
alto como um céu,
os astros nascerá.

***********************
O verão chegou
qual sol nos verdes campos,
ascende as cores.

************************
Meu sonho é filho,
meigo pensar da criação
sendas da pureza.


Valmir Viana.
Poeta

Nenhum comentário: