8 de jul de 2011

Poesia de Mary Gondim


SÓIS POENTES
 

- Que fazer dos sóis poentes
metade sangue, metade azul?
O sopro quente tocará a face
punhal ardente tatuando corpos,
multiplicando enredos, libertando a dor,
voraz estigma cerceando o tempo.
- Que fazes dos sóis poentes
metade sangue , metade azul?
Se faz urgente evocar os deuses,
unir esforços, ordenar silêncios,
plantar verdades, semear perdões,
estender as mãos, esperar a paz.

Mary Gondim

Nenhum comentário: