6 de jul de 2011

Poesia de Anélio Souza


O ALVORECER DA CULTURA

Eis que ressurgiu o Astro flâmeo louro
Como fulvos astrais a terra vêm
Tal à estrela de Cristo, na Belém
Brilhar no Pajeú, atracadouro.

Em Afogados fez-se logradouras
De Manuel Arão poeta do bem
Foi luz, foi estrela; feito ele ninguém
Deixou melhor herança nem tesouro.

De novo a aurora esplende brônzea cheia...
Entre basaltos negros luz serneia
No torrão sucessor – Manuelense...

O centro Afogadens delineia
Filosofia. E, por certo norteia
A cultura do povo AFOGADENSE

Anélio Souza (In memória)Sócio-fundador

Nenhum comentário: