21 de jun de 2011

Poesia de Regina Helena


CONSTATAÇÃO

Guardei os olhos
Engoli em seco a emoção contida,
Recolhi no peito o que não era mistério
Mas desejava escondido.
Lambi feridas...
Domei a desistência...
Encurralei a alma que se questionava
Na loucura de verbos sem essência.
Havia neste tempo famélico e inútil,
Atalhos e convites impensados,
Silêncios que sabiam o meu nome,
Sombras e fantasmas alijados.
Havia neste tempo famélico e inútil,
Rupturas e anseios confirmados
Que estimulavam, na carne que baldeava,
A sede e a fome de meus medos.
Havia neste tempo famélico e inútil,
Insolidez, sentidos desgastados...
Havia a palidez diante da tristeza,
Assistindo a desfiguração da própria face.

Regina Helena

Nenhum comentário: