2 de jun de 2011

Poesia de Madalena Castro


DOCE LEMBRANÇA

Eu me lembro das noites de chuva
Quando ouvia o sapo coaxar
Com frio e com medo eu chorava
E a mamãe começava a chamar

Ela vinha com passos bem leves
Com carinho ao meu lado deitava
Com seu corpo ela me aquecia
E uma linda história contava

Mas a minha infância passou
E distante estou do meu lar
Estou sozinha nas noites de chuva
E a mamãe não me escuta chamar

Vem mamãe, minha querida mãe
Aquece-me mamãe, nesta hora
Vem mamãe, me fazer companhia
Tua filha tem medo e chora

Eu cresci, mas me sinto criança
E ás vezes me ponho a chorar
De perder-te, mamãe tenho medo
E este medo me obriga a voltar

Vem mamãe, minha querida mãe
Aquece-me mamãe, nesta hora
Vem mamãe, me fazer companhia
Tua filha tem medo e chora

Madalena Castro


Nenhum comentário: