1 de ago de 2010

Poesia de Margarett Leite



GOSTO DE PARA SEMPRE
Passastes por minha vida amor deixando as marcas dos ancestrais, amores dos coretos repletos das bandas dos perfumados jardins onde de mãos dadas sonhávamos.
Passastes deixando o gosto do sapoti maduro o aroma do café coado na hora o cheiro das colônias inglesas o tato da seda e do cetim no corpo passastes, e sem rastros saístes, bastando- me um leve sopro de esperança alva onde as carícias voam do passado ao presente com gosto de “para sempre”


Paulista 19/03/07

Nenhum comentário: