29 de mar de 2010

Poesia de Jardel França



DISCRIÇÃO

Ensina-me, oh mundo teus segredos.
Serei como catacumbas pluralizadas
Para não te divulgar.
Mostra-me o por do sol, antes que arda em mim
A dor da nostalgia.
O que direi da alegria, perdida pelo tempo atroz?...
Guarda em mim teu semblante.
Face que oculta padrões hipócritas
Em sorrisos débeis, que me enleia e me embrutece.
Incógnito é o sonho que te dou.
Exímio é o dom da vida, que floresce a cada dia
Em teus jardins.
Algo aqui te fez carrasco da felicidade.
Tão quanto paraíso de ilusões.
Mestre da opulência tu és; senhor da lenda,
Alienado, insano _ enigma que se mostra em
prantos.
Na dor, aos pedaços.

...

Nenhum comentário: