16 de out de 2009

POESIA DE SELMA RATIS


BRUXA OU DUENDE


Acho que sou bruxa
Com essa idade
Encontrar alguém
Que diz me amar
E num ritual de magia
Tudo se inicia
Com uma massagem
Que leva meu prazer
Ao desespero
Ele me coloca
De frente, de lado, de costas
Cria posições geométricas
E emoções periféricas
A formar retângulos
Quadrados e triângulos
Onde mistura óleo
Carícias e atrito
Enquanto feliz
Sussurra que estas coisas
É com amor
Que se aprende.
Confesso, eu não sou bruxa
Ele é que é um duende.
...

Nenhum comentário: