9 de ago de 2009

Poesia de Lygia Boudoux

Flores da manhã

Diante da luz do luar
Queira-se chorar
Silêncio profundo
Adeus sonhos perdidos
Como abrigar a felicidade
Meu amor, poço fechado...
Guardo para ti:
Um ramo de jasmim orvalhado
Lavanda, folhas de maçã...
Primavera tardia
No sótão escondido
O perfume das flores
De todas as manhãs...

Nenhum comentário: