5 de jun de 2009

POESIA DE MARIA RITA




FOLHAS SOLTAS

Sou como chuva fina
Que aos poucos vai caindo e aos poços vai ficando.
Sou como um vento leve, sou como a neblina,
E aos poucos por tua vida vou passando.

E tua ausência deixa-me inquieta
Causando-me uma estranha solidão,
Pois bem sei que o meu destino de poeta
É a causa desta minha aflição.

E por ser eu assim
É que nunca encontraste alguém
Que te amasse igual a mim.

Que não sejamos como folhas soltas pelo chão
Para que o nosso amor também
Jamais se torne em vão.

Maria Rita
Set./1982

Nenhum comentário: