25 de nov de 2008

POESIA DE LYGIA MARIA DE ARAUJO BOUDOUX

MANHÃ POÉTICA


Hoje me acordei com misto de melancolia e desejo.
Desejo de está com ele, sentir seu cheiro e poder chorar sem
Medo, por um tempo que achar necessário.
Desejo de andar alguns passos até a porta que preciso abrir.
Desejo de está num lugar tranqüilo perto da natureza
sentindo o vento no rosto e ouvindo apenas os
cânticos dos pássaros.
Naqueles dias em que estou frapê. O humor fica sorrateiro.
Aparece com outras nuances.
Uma mistura de tons, como personalidades múltiplas cercam-me.
Sou Florbela com melancolia das pétalas da
Noite e o noivado do luar.
Sou Pessoa onde nada me prende a nada.
Ou onde tudo vale a pena.
Neruda surge com a nuance da saudade, o céu estrelado e a noite girando
E eu sozinha.
Uma nuance nova retira-me da solidão, Romano com sua doçura, transforma-me numa
Orquídea multicolorida e multiperfumada e nesse instante a melancolia perde letras e fica
só mel.
...

Nenhum comentário: